SÓ OBSERVO

No começo até que foi divertido, mas já está entrando na fase digna de preocupação o quociente de imbecilidade demonstrado por pessoas e instituições Brasil varonil afora. São ratos que querem se transformar em montanhas, enquanto já há montanhas parindo ratos. O exemplo mais gracioso é daquela galera que sai às ruas para se manifestar pelo retorno do regime militar, talvez para não ter mais que sair às ruas para se manifestar, já que automaticamente isso será proibido. 

Achei a coisa mais mimosa as duas moças carregando uma faixa contendo um nome pra lá de comprido, tipo ‘Marcha da família com Deus e o diabo, Glauber Rocha e seilamaisquem na terra do sol pela liberdade e o direito a uma conta no HSBC’. Deu pra cansar só a tentativa de leitura, por isso não decorei tudo. Eu tinha que guardar espaço na memória já carcomida, porque seria de se lamentar jogar na conta do alemão a frase “sonegação não é corrupção” contida num cartaz carregado por dois tontos.

A nota, digamos, menos séria da tarde festiva da Paulista foi um boçalzinho vestido de Tio Sam, com direito àquela cartola ridícula e uma bandeira americana. De início achei que poderia ser um estranho no ninho, mas depois suspeitei que se tratava de um autêntico coxinha que queria mesmo era ser um Big Mac.

A mídia que apoiava a micareta sabiamente não entrevistou ninguém, vai que abrem a boca, né?

Uma vez encerrados os desfiles dos blocos de Revoltadinhos, seria pretensioso esperar que o país voltasse ao normal. Ou ao anormal, já que a turma do ‘quanto pior, melhor’ não desiste de voltar ao poder pela força, e o normal aqui por enquanto é isso: agir para transformar a vida republicana num inferno cotidiano. Mas, enfim, me resta o otimismo inquebrantável.

A normalidade foi, enfim, restabelecida a partir de um artigo sempre inteligente do Reinaldo Azevedo, um comentário nunca vergonhoso do Jabor na TV, guerras escatológicas nas mídias sociais e a boa e velha briga entre os organizadores do evento, que disseram ter levado milhões para a Paulista, em contraponto à planilha da PM que indicava milhares.

Também se fez sentir algo parecido com cotidiano nas conversas de botequim, na beira da piscina e em todos os demais lugares tomados pelos palermas catastrofistas com complexo de vira-latas, que só abrem a boca pra falar mal do Brasil. Segundo consta, até os naufrágios recentes entre a Líbia e a Itália são culpa dos petralhas bolivarianos comunistas. E ai de quem contestar.  

Não é pra rir.

Esta entrada foi publicada em Assuntos Gerais. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *